domingo, 29 de abril de 2012

Sabes Me dizer ?



Bom Domingo !!!!!

A angustia, agonizado Me deixa com aquela dor no peito e por mais que tente e faça não consigo atingir a compreensão da grande maioria . Quando falo e Me expresso por incrível que pareça agrido, pois é o que ouço a toda hora direta ou indiretamente . Mais quando escrevo, é engraçado, agrado, conforto, alivio e auxilio desvendando e encaminhado para a solução do problema . O que faço ? Sabes Me dizer ? Vou tentar usar um pouco do que Me resta de minha energia e recolher-Me a minha insignificância e deixar a vida rolar e quem sabe uma hora, um dia, ou quando e se quiserem se lembrem de Mim e Me deixem viver digna, honrosa e humildemente .

JB

Não quero que as pessoas me entenda, mas espero que tenha sensibilidade para respeitar o que sinto.

Paula Horácio


Excomungados

Tu que triste aqui vivias.
Tu que nunca partias.
E se partias, não ias.
Ou ia metade de ti.

E até quando chovia era
Melhor o teu dia.
A claridade doía dentro e
Fora de ti.

Sabes, gostei de te ver.
Remoçaste, senti-te mais natural.
Parecia que te ficava melhor
O teu ar intelectual.

Claro que não entrei.
Fiquei-me à porta do salão, espiei.
Entre os intelectuais, iguais.
Tu ali parecias mais.

Estavas muito à vontade e o sarau
Acontecia nas verdades comungadas
Por almas excomungadas, e por outras
menos ousadas.

Senti-me ali tão pequena,
Uma moça de recados.
Queria estar ali, entrar pé ante  pé,
Nem que fosse para servir café.

E como quem não ouvia, ouvir o
Que se ali dizia.
Também queria entender o que a
Tal excomunhão ali queria dizer.

Uma coisa eu percebi.
Todos estavam tão bem.
O inferno não era ali.
Era o melhor sarau que já vi.

Também não era desterro.
Não tinha cheiro de enterro.
Nem sabor de despedida.
Era a vida que querias quando  aqui vivias.


Lita Moniz


Beijões e Abrações .

Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale