domingo, 21 de novembro de 2010

Desculpas !



Bom Domingo !!!!!

É, como sempre atrasado e tentando me redimir perante Você, que tem a paciência de esperar e a calma para ler as abobrinhas que escrevo e aqui posto para expressar meus pensamentos e pontos de vistas sempre abertos a uma boa discussão do qual quem sabe, pode até se achar uma solução para algum mau que a empestear o corriqueiro esteja . Mais não posso deixar de me cobrar e pedir sim, mil desculpas embora não seja C.D.F. mais são coisas que não deveríamos esquecer pois fazem parte de nossa vida infantil, adolescente e a postério pois são marcos de vida, cidadania e não fanatismo .
Pelo dia da Bandeira pesso desculpa pois se uma criança sabe o valor do respeito a um símbolo, Ela se orgulha de vestir as cores e respeita a este símbolo e o revenera, no nosso caso, a bandeira erecto a ser hasteada e o hino cantar .
E o respeito ao negro aqui em seu dia também pesso desculpas pelo dia da consciência negra onde temos que ter respeito aumenos aqui no Brasil, Eu, vejo que do Oiapoque até o Chuí todos se entendem e compreendem e entre brancos e negros, tem muitos índios, caboclos e mulatos, por isso a miscigenação aqui no Brasil não permite o racismo .
Um ótimo Domingo e sempre que em aperto estiver, querendo chame e o Pai lhe atenderá . Fique com Deus .

JB



A felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos.

Thomas Handy


O Que Pode Vir a Ser

Escrevo, faço versos para forçar o
saber a aparecer.
Está ali, encostado nas idéias que
me vêm.

Manda insights, flashes instantâneos.
É um saber que anda a brincar comigo
de esconde-esconde.
Tão longe, tão perto, esperto!...

Talvez me ande a ensinar que saber é se
contentar com o possível, o fácil de achar.
Aceitar o que é, como é, sem o querer mudar.
Tudo é o que tem que ser.

Há o livre arbítrio a dizer, se quiseres, pode
até acontecer.
És livre para escolher.
Talvez seja essa a lição: achar a melhor opção

Isto reforça a tese de que somos o que queremos
ser, porque ninguém se põe a querer o que não
pode vir a ser.
O possível já contém o impossível também.

Lita Moniz

Beijões e Abrações .

Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale