sexta-feira, 22 de junho de 2012

Solidariedade .





 Bom FDS !!!!!

Solidariedade .

Tudo na vida depende de nossa vontade, de nosso querer, de nosso esforço . Pois quando não nos dedicamos podemos até conquistar mais a tendência é mesmo deixarmos de ganhar, pior, perdermos, pois o tempo gasto, este não terá retorno podendo até falta fazer bem mais a frente .
Procure ser natural, espontâneo, realista e faça o que tiver que ser feito, mais o faça e vá ao encontro da vida, de uma vida, humilde sim, mais digna e honrosa que Te proporcionará Paz física e espiritual deixando-Te Feliz o bastante para que espontaneamente distribua Amor aos que dele necessitam e não o têm pois a ganância, inveja e olho grande que sorrateiramente asfixia o mundo  não deixando os mais fracos receberem, assim necessitando da solidariedade para a sua sobrevivência .
Forte, Tu és ! E se não se importas, faça o bem a alguém, permitindo com que a sua força se sobressaia a tudo que obscuro seja e proporcione aos incapazes e impossibilitados de ver e ter o Amor .
JB

Não são as brincadeiras que tornam as pessoas felizes, são quem as faz, que tornam as pessoas felizes.

Claudiney Ribeiro


Havia Nevoeiro Sobre o Mar

Havia nevoeiro sobre o mar.
Na praia só um menino a brincar.
Um deus menino ali sozinho.
Corria, ria, deitava, rolava, brincava
De ser garotinho.

Fez uma bola dourada, jogava-a  para
Lá e para cá.
A meninada foi chegando, a  brincadeira
Rolando.
Que delícia descer da cruz!

Livrar-se daquela coroa de espinhos.
Arrancar aqueles pregos, que o pregavam à  Cruz.
Mesmo que só por um instante ser o menino
Jesus.

Brincar de jogar bola, de correr pelo mar fora.
O nevoeiro  ajudava, os meninos nem percebiam
Que a água não o molhava.
E mais uma coisa acontecia o menino subia, descia.

Sem ninguém perceber.
Estava a decidir se seria melhor subir ou descer.
Não foi bem para se vingar.
Mas andava entediado.

Sempre àquela  cruz pregado.
Sempre aquele sangue a correr.
Chamavam-no de Príncipe da luz, mas não
O deixavam brilhar longe da cruz.

Sempre gente grande a chegar a pedir o que
andaram a desperdiçar.
Jogaram a saúde fora.
Mandaram as oportunidades embora.

Culpam os outros  por tudo que lhe aconteceu.
Querem que aquele Cristo, ali pregado na  cruz,
Resolva tudo isto.
E lá  no céu ninguém via que o Deus menino sofria.

Esperou todo o mundo adormecer.
Desceu da cruz.
Desatou a correr.
Cansou de ser um Cristo sempre a morrer.

Decidiu viver.
Escolheu um lar bom para ficar.
Com pai e mãe cheios de amor para dar.
E muitas crianças com quem brincar.


Para aquele céu não vou, não vou!
Vou ficar no McDonald”s , no Cacau Show.
Vou enganar o tempo,  fazer com que passe devagarinho.
Nem vai perceber que decidi ser sempre menino.




Lita Moniz


Beijões e Abrações .

Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale