segunda-feira, 10 de junho de 2013

Certo ou errado ?







Bom Dia e uma Boa Semana !!!!!

Certo ou errado ?

A dificuldade imperando vem de modo e maneira adversa,
a qual duvidar pode até deixar seqüelas .
Chegas a um ponto em que não sabes mais o que é o certo e o errado pois a razão,
não se identifica,
e se Você não tem o mínimo necessário padeces e se reação não houver,
pereces .
No mundo o qual Me encontro muito cuidado tenho que ter pois os outros alem de serem os outros,
demonstram não quererem Viver,
pois não ligam para as coisas fundamentais,
simples sim,
mais o básico para uma estrutura sólida,
ampla e concreta para que assim se erga um Universo,
um Mundo,
uma Nação,
ou um ser humano através de sua Vida que mediante a um único sentimento que em havendo,
a todos une solidificando e dando razão .
E esse é,
o Amor  . 

JB

Aquele que duvida e não investiga torna-se não só infeliz, mas também injusto.

Blaise Pascal



O Rabo do Diabo

Mais um menino nasceu, bem pequenino adoeceu, quase morreu.
Vingou, entre primos e irmãos se criou.
A mãe lia o que via, mas não compreendia. Só dizia: para  que  tanta braveza!
Estudava, mas quando podia, fugia.
Gostava mesmo era de quebrar as bicicletas da gurizada, tirava as peças em bom estado.
A bicicleta dele  tinia, cantava. Sempre novinha,  pintada.
Às vezes também gostava de roubar ovos e aquela penosa. Entregava para a mãe e dizia:
Da granja. De que granja? Não sabia, ou fingia que não via.
Arrumou um emprego para fingir que trabalhava, e continuava a fingir que estudava.
Até namorava para enganar a alma homossexual que carregava.
Mudou a diversão, cansou   de furar bolas, de quebrar bicicletas, de roubar.
Agora se divertia em grupo.
Andava enturmado com garotos que saiam à noite para fazer arruaça.
A maior diversão era espancar homossexuais de graça.
E batia, batia para esconder o que na alma lhe ia.
Namorava, até ficava com minas marotas capazes de o  excitar,  mas o que queria
mesmo  era se mostrar garanhão de causar inveja, o maior tesão.
Casar não. Ou melhor, só casaria se algum dia cruzasse com uma moça maluquinha, bobinha.
Aconteceu!...
Quanto sofreu! Dor para além da dor. Medo, terror.
Só não morreu porque era sangue forte lá do norte.
Quando pode fugiu.
Fugia tanto que nunca se viu.
Sem braços para trabalhar, sem uma alma para maltratar, começou a definhar.
Ainda havia um cão em quem batia sem dó.
O cão morreu, ficou só.
Aquela casa limpinha aquele fogão a brilhar, as panelas e tudo mais começou a enferrujar.
Sujeira por todo o lado, teto rachado, paredes a descascar.
De tanto querer ser ao diabo igualzinho, já lhe anda a nascer um rabinho.


Lita Moniz


Beijões e Abrações .

Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale