domingo, 11 de maio de 2014






Bom Dia !!!!!

Feliz Dia das Mães !

Podemos em um certo dia não nos darmos conta de que necessitamos e por isso menosprezarmos .
Dia a pois dia martelamos, não valorizamos e pior, até abandonamos .
Que quando já na falta definitiva muitos chegam a se arrepender por que sem a presença de alguém para chatear, sem alguém para lhe surpreender com alguma coisa que gosta e adora muito e só Ela sabe fazer, é ai que sente a sua falta .
Já alguns não chegam a tanto pela sua frieza natural mais pagam caro por isso pois o castigo vem com os filhos que pode fazer por baixo o mesmo que fizeram com seus Pais, quando não, os internam em um asilo onde nunca mas vizita fará .
Aos que sensibilizar Eu fiz, desejo um Feliz dia com suas Mães e aos que não, que seu dia maravilhoso seja e procurando melhorar dedicando-se aos netos, pois Eles poderão Te salvar   .
Fique com Jesus um Feliz dia das Mães e aos que não mais tem, saiba que em um Bom lugar estão, com Deus   .

JB

Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.


Carlos Drummond de Andrade


Sem Razão

Ninguém tem razão.
Ninguém porque a todos falta
Caridade no coração.

Humanitarismo, o que é isso?
Que senso de humanidade pode ter
Quem a si mesmo não pode valer?

Ai! Vou pôr mais uma tranca nesta porta.
Que importa o mundo.
Que importa!

O mundo das três verdades:
a que se serve  à mesa  posta.
A que corre nos subterrâneos das intenções à mostra.

E a verdade abafada  pela  insanidade ditada pela maldade.
Ai a verdade!
Ninguém gosta dela, é insuportável.

É o que se vê no fim da viagem.
Quando lhe tiramos a roupagem.
Quando a fazemos desfilar na rua nua e crua.

É assustador.
É se ver rodeado de vermes a nos comer
Por dentro e por fora a toda a hora.

É precisar tomar pílulas para os  matar.
E outras para apagar a lousa.
Para não nos deixar ver o que andamos a fazer.

Para nos roubar as forças que podiam a situação reverter.
Palhaços vestidos de ilusão.
Sem coragem para tirar a maquiagem.


Lita Moniz


Beijões e Abrações .


JB


Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale