terça-feira, 19 de outubro de 2010

O Anfitrião .

Os elementos .

Entre os elementos da vida que provocam o bem estar,
o equilíbrio,
esse que nos traz a satisfação de estar e continuar vivendo,
é a harmonia que deve sim ser alcançada pois através dela poderemos nos organizar e assim formar um conjunto que nos levara a totalidade dos itens necessários para a formação e conclusão do mesmo que assim se denomina, vida .

Com a brisa a resvalar em meu rosto conto pacientemente os dias,
as horas,
os minutos para poder me encontrar contigo minha deusa .
É nesta hora que temos que aprender que nunca,
não podemos,
mais sim não devemos extrapolar indo direto para o início da fila ,
do túnel ou seja,
devemos sim,
pacientemente dar um passo atrás do outro e ao encontro de nosso destino o qual temos autonomia para modificá-lo assim concretizando nossas bases solidamente para curtirmos uma vida a dois com Paz,
Amor e muita Felicidade .

JB

Boa Tarde !!!!!

Com supremacia vá fazer seu papel que é o de anfitrião recebendo e dando toda a atenção possível aos hospedes que até Ti se apresentarem e assim deixando ascender a mais sublime das essências que é a inocência, a qual unido a simplicidade se correlacionará com tudo e todos como parte do mesmo formando assim a confraternização, sendo felizes pois só amor circula entre todos .

JB

...Amo a liberdade. Por isso, deixo as coisas que amo livres. Se elas voltarem, é porque as possuí, se não voltarem, é por que nunca as tive..."

John Lennon
Saudades
A vida é um aranzel de saudade. Saudade e outras lembranças que não fazendo bem, já nem tanto mal nos fazem mais.

A vida tem enredos de novelas. Criamos nossas histórias e um ser lá no céu novelesco, em seu trono absoluto, dirige, enreda, corta cenas.

A vida é rebú de fartas lembranças! E vez em quando, um não sei o quê que dói tanto, me chama.

Vejo teias nas telhas do quarto e imagino no teto um imenso painel.
Crio minhas fotografias. Retiro teias das telhas e telhas do teto. O céu é meu painel, e dependuro no infinito, foto a foto, essas saudades.

Me enamoro enfim das cenas menos clássicas. De um por de sol que vi quando criança.
Fotografei minhas mãos em concha, repleta de bolas de gude refletindo multicoloridas, brilhos solares.

xxxxxxxxx

Que outono invernal!!!

Wellington Cruvinel
24.08.10
Wellington Cruvinel

Beijões e Abrações .

Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale