sexta-feira, 8 de junho de 2012

O arrogante .




Bom Dia e um ótim FDS !!!!!

O arrogante .

Festejar aqui é a questão pois necessitamos curtir nossas vidas, expor nossos desejos e vontades, sonhar com nosso futuro, colher a energia necessária para nosso sustento e servir todo Amor que pudermos dar como pequena, ínfima mais valiosa contribuição para a construção de um mundo melhor . Sólido, rígido e confraterno Ele se tornará na medida que conscientizarmo-nos de que apenas de passagem aqui estamos e que se hoje não Me preocupar com o amanhã, este poderá nunca a vir existir .
Deixa a sua arrogância de lado, dessa os degraus de seu castelo de cristal e una-se aos que se preocupam com o futuro e algo já estarás a fazer .
Sei que arrogante Eu sou, mais vivo estou graças a mesma pois Me ajudou a encarar muitas barreiras e consequentemente vencer muitas . Mais com certeza tenho mais coisas alem da mesma e muito mais valiosas que Me sustentam e Me fazem viver, certo Dona Rosângela ?

JB

Vem assim do nada te deixa perdido... Vai embora depressa... Não deixa aviso... Não reclama, não pede... Não permiti nem proíbe é assim tão complexo e de tudo se distingui, alguns dizem completo outros acham que faltam e em versos se repetem em segredos se calam, que seja assim tão eterno que seja verdadeiro quando falo.

Ermivea Tanea

Dia de Portugal, de  Camões e das Comunidades

Dia dez de junho, um feriado nacional, que este ano coincide com um Domingo:  uma oportunidade para que muitas comunidades portuguesas espalhadas por todos os cantos do mundo se reúnam para festejar. Todas as casas que representam estas comunidades se preparam para festejar este dia com muita alegria, comidas típicas de todas as regiões de Portugal regadas  com azeite português e bons vinhos.
      Um convívio sadio, muita música portuguesa, ranchos folclóricos, enfim, uma festa que tenta recriar nos países de acolhimento o cenário e o desenrolar das festas tradicionais de Portugal.
      É dia Portugal,  de volta às origens, às raízes que moldaram o nosso modo português de ser.
É dia de pensar no Portugal de ontem e de hoje.
     A preocupação com os problemas da Zona do Euro este ano, claro, vai estar presente.
       E muitos dos discursos que ali se vão ouvir vão chegar aí, porém,  sente-se no ar um certo otimismo, todos sabem que Portugal vai sair desta crise mais forte, mais consciente de seus deveres para com a nação. Um país a crescer, que deu uma parada para pensar nos rumos a seguir, mais nada.
     Vão, claro, apresentar sugestões e ações que possam ajudar. As comunidades sempre se fizeram presentes nos destinos da nação.
     É também  dia de Camões porque é este o poeta que melhor encarna o espírito de aventura do povo português. Como poeta, se me perguntassem qual Camões te encanta mais?  De olhos fechados diria: Camões lírico, Camões a cantar o amor cortês como nenhum outro trovador o fez, e foi mais longe, porque nele já se via um outro amor a chegar.  Um amor não  tão platônico, mais próximo, mais carnal . Por cautela, para não contrariar os preceitos da igreja, este  amor está mais presente em Vênus, a Deusa da beleza e do amor, que percorre toda a Epopeia portuguesa “ Os Lusíadas”.
         Camões Lírico oscila entre o amor carnal e o espiritual. Segue a tradição italiana, o amor Concebido por Petrarca, mas também aqui vai além, A Laura de Petrarca, mesmo depois da morte continua viva na alma do poeta. Camões aponta para um possível  amor para além  da vida:
“Se lá no assento etério onde subiste,
  Memória desta vida se consente,
  Não te esqueças daquele amor ardente,
Que já nos olhos meus tão puro viste” . (segunda estrofe do clássico poema de Camões “Alma minha gentil, que te partiste”.)

Camões Épico canta os feitos e as glórias do povo Português, “Heróis do Mar”, canta o Momento áureo de um povo, de uma nação, um feito realmente grandioso. Portugal apresenta para o mundo outros mundos. Estabelece rotas marítimas, abre caminhos no mar.
        Dia 10 de junho representa o que de mais nobre há na nação portuguesa: O espírito de aventura do povo português,  por extensão representa uma vontade forte de não se acomodar, não desanimar diante das tempestades, ultrapassá-las.
     Fazer de cada obstáculo um trampolim para ir mais longe.

                                                          
Lita Moniz
                                                             
( Em São Paulo)


Beijões e Abrações .



Nenhum comentário:

PAZ .

PAZ .

Horloge numérique / digitale